quinta-feira, 21 de julho de 2016

Apressa-te Senhor em me ajudar

“Apressa-te Ó Deus em me livrar, Senhor, apressa-te em ajudar-me” (Salmos 70)

Introdução

Este Salmo mostra o desespero de Davi em momentos de grandes aflições, onde ele busca em Deus o livramento contra os ataques do inimigo. Embora o desespero batesse às portas de seu coração, ele bem sabia em quem podia confiar e por isso abre o seu coração diante do Altíssimo e clama por socorro. Esta é também a certeza que temos quando a dor e o desespero nos batem à porta. Sabemos que sem Ele nada podemos e por isso nos rendemos aos Seus pés, na certeza de nEle, podemos descansar. Ele é o nosso socorro bem presente em momentos de angústias. E por isso devemos nos voltar para Ele em oração e súplica em todo tempo:

Temos aqui neste Salmo, alguns pedidos de Davi feitos a Deus e a sua declaração de confiança esperança e alegria por servir a um Deus tão grandioso.

1- Pedido de Socorro – “Apressa-te ó Deus...” (v1)

Somos parte do corpo de Cristo. Pode uma unha encravada doer sem que o restante do corpo não tome conhecimento? Cristo é a cabeça deste corpo. Ele sabe tudo sobre nossas necessidades. O Salmista bem sabia quem era o Deus a quem servia. Porém, o perigo o rondava e ele clama a Deus por livramento. Muitas das vezes, quando estamos em meio a uma tribulação, nos sentimos impotentes e desamparados, parece que Deus não está vendo. O silêncio de Deus às vezes é a única resposta para nossas orações. Parece que o socorro não vem e estamos sós. Então, nesses momentos, bate o desespero. Mas a bíblia diz, “as suas promessas não tardam, ainda que muitos a tenham por tardia..” (2 Pe.3.9). O que Deus tem a fazer em nossas vidas ele fará, no tempo certo. E qual é o tempo certo? 

A nossa visão é muito estreita. O nosso olhar se detém apenas naquilo que podemos perceber com as nossas percepções limitadas. Com a nossa lente espiritual embaçada, não conseguimos compreender o mover de Deus em favor de nossas vidas. Queremos estabilidade e nos apoiamos muitas vezes em coisas ou em pessoas para nos sentirmos confortáveis. De repente, ao menor abalo as nossas estruturas ficam comprometidas. Deus quer que sejamos dependentes apenas dEle. 

Por isso, muitas vezes Ele permite algumas situações adversas em nossas vidas, para nos ensinar a sermos dependentes apenas dEle. Somos humanos e imperfeitos e por mais conhecimentos teóricos que tenhamos, precisamos ter experiências práticas com o Deus a quem servimos para aprendermos que quem está no controle de tudo é Ele. Portanto, temos que aprender a confiar e a esperar nEle. Ele é o Senhor do tempo, por isso Ele não tarda. A hora certa, não é dentro do tempo chronos (cronologia) que nos orienta e sim Kairós (tempo de Deus) que vai além do nosso entendimento, mas é perfeito.

2- Pedido de Livramento “...tornem atrás e confundam-se os que me desejam mal” (v2b)

O salmista clama a Deus pela derrota dos intentos dos seus inimigos. Não sabemos qual era a situação mas ele fala que os que o perseguiam desejavam tirar-lhe a vida. Em seu clamor, pede que os planos do inimigo sejam frustrados e que os que lhe desejam mal retrocedam e se frustrem em seus intentos e que sejam humilhados.

“Fiquem envergonhados e confundidos os que procuram a minha alma” (v2a)

Os inimigos do salmista não desejavam apenas matá-lo mas envergonhá-lo, expô-lo ao ridículo. Mas Davi pede que a intenção deles seja desfeita e que retrocedam envergonhados de seus intentos.

“Retrocedam em desgraça os que zombam de mim” (v2b)

Os opositores da Obra de Cristo se levantam também contra a vida daqueles que se propõem em seus corações fazerem a vontade de Deus. Eles são movidos pela maldade que é característica daquele a quem servem e se levantam com fúria para destruir e arruinar tudo o que representa oposição aos intentos do maligno. Mas podemos, assim como o salmista o fez, clamar pelo socorro divino para que nos seja concedido o livramento, até mesmo porque, nem sempre essa investida é visível aos nossos olhos. Muitas vezes, as lutas são travadas nas sombras. A Bíblia nos ensina também, que devemos orar pelos que nos caluniam e nos perseguem (Mt 5.44)

3 –Pedido para que a alegria volte a reinar no coração dos que esperam no Senhor

“Folguem e alegrem-se em ti todos os que te buscam; e aqueles que amam a tua salvação digam continuamente: “engrandecido seja Deus! “ (v4)

As lutas fazem parte da vida de todo crente. Mas “se formos fiéis até o fim, receberemos a coroa da vida” (Ap 2.10). Paulo em sua Carta aos Romanos nos diz que: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito, por amor de ti somos entregues a morte todo dia, somos reputados como ovelhas para o matadouro” (Rm 8.35,36).

Jesus não disse que estaríamos isentos de aflições, mas ele nos confortou dizendo: “tendes bom ânimo, porque eu venci o mundo” (Jo 16.33) e se Cristo venceu o mundo e se nós estamos nEle, mesmo tendo que enfrentar as lutas do dia a dia, “somos mais do que vencedores por aquele que nos amou” (Rm 8.37). A alegria muitas vezes demora a chegar, mas o salmista mesmo diz que “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Sl 30.5). E é desta alegria que Davi está falando. Que depois das lutas, que o povo possa se alegrar e glorificar a Deus.

4 – Oração e Súplica de quem se reconhece dependente do Senhor (v5)

“Quanto a mim, estou aflito e necessitado; apressa-te por mim, ó Deus. Tu és o meu socorro e o meu libertador; Senhor, não te detenhas!” (v 5).

O salmista reconhece diante de Deus as suas fragilidades e declara estar aflito e necessitado. Pede que Deus se apresse em ajuda-lo. Deus “é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente em dias de angústia” (Sl 46.1). Deus é um Deus de relacionamento. Mesmo tendo conhecimento dos nossos problemas Deus espera que venhamos até Ele e falemos sobre os nossos problemas. Davi tinha intimidade com Deus e rasgou seu coração diante dEle, reconhecendo que só o Senhor poderia socorrê-lo e libertá-lo de suas aflições.

Conclusão

Este Salmo nos ensina que devemos nos colocar em total dependência de Deus em todas as situações. Embora as lutas sejam grandes, não devemos nos entregar ao desespero porque sabemos que “maior é o que está conosco do que o que está no mundo” (1 JO 4.4). Que possamos render glórias a esse Deus tão maravilhoso que nos ama tanto e que nos cerca com seus cuidados e nos carrega sob suas asas ( Êx 19. 4) e nos coloca em lugar seguro em momentos quando já não temos mais forças para caminhar. A Ele seja a honra e a glória para sempre. Amém!

Sonia Oliveira

Veja aqui alguns dos Estudos disponíveis no Arquivo do blog: