quinta-feira, 16 de agosto de 2012

As Doze Tribos de Israel

A Posse da Herança Prometida (Js.13-24)
"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade". (2Tm.2:15)



Reflexão do Tema 
Diante da imensa responsabilidade que lhe fora confiada após a morte de Moisés, Josué ficou inseguro. Mas Deus o confortou dizendo apenas para que se esforçasse e tivesse bom ânimo porque estaria com ele e não o abandonaria (Js. 1:5). E assim foi. Deus manifestou-se prodigiosamente com Josué, assim como o fora com Moisés.

Sua historia é, sem dúvidas, uma das mais lindas das Escrituras Sagradas. Pode-se afirmar com toda a certeza que foi um homem vitorioso. E qual seria o segredo de seu sucesso? Analisando sua história podemos concluir que existem pelo menos quatro condições para se obter vitórias enquanto povo de Deus. Primeiro, o temor a Deus, segundo, a perseverança na fé e na obediência, terceiro, manter fidelidade e compromisso e quarto, assumir o compromisso com a Sua Palavra, buscando, não apenas conhecer, mas colocar em prática os seus mandamentos.

Após a tomada de Jericó, Josué continuou conquistando novas terras. Até que, já em idade avançada e não havendo ainda tomado posse de toda a Canaã,  Deus lhe disse para dividir as terras entre o povo (Js.13 ao 22). Após a divisão das terras, já finda a sua missão em reunião com o seu povo e fez dois discursos emocionantes de despedida (Js.23 e 24).

O seu primeiro discurso teve como propósito trazer à lembrança os feitos do Senhor, trazendo à memória, desde a promessa de Deus feita a Abraão, o resgate no cativeiro, os milagres no deserto até a posse de Canaã, conclamando o povo a tomar posição e assumir o compromisso com Deus. Sua fala traduzia preocupação, porque conhecia a disposição espiritual daquele povo, mas também, demonstrava a emoção de quem estava se despedindo. Finaliza exortando-os à obediência, à fidelidade e observância da Lei.

O segundo discurso discorre, mais uma vez, sobre a fidelidade de Deus (Js. 24:1-13) e a necessidade de reafirmar uma nova aliança com o Senhor, pois o povo havia se desviado de seus caminhos, deixando-se contaminar com as crenças pagãs das nações inimigas. Finaliza com exortação    quanto às conseqüências da rebeldia e a idolatria. Conclui sua fala com o compromisso manifesto do povo em fazer esse novo concerto. Todo esse discurso fica registrado no  Livro da Lei, debaixo de um carvalho em um lugar santo (Js. 24:27-28).

A mensagem contida nesse texto traduz para nós, um grande ensinamento. Quando Deus entrega a alguém uma missão, Ele vai à frente. É Ele quem conduz, quem capacita, quem defende e quem dá a vitória. Josué perseverou na fé e permaneceu na obediência e por isso recebeu o seu galardão. Deus tem promessa na minha e na sua vida, mas é necessário manter a aliança com Ele, renunciando a tudo o que pode nos contaminar, nos tirando de sua presença. Amém queridos! 


IMAGENS ESPECIAIS





 Obrigado Senhor!

PLANO DE AULA
Data: 27/07/2012
Tema: As Doze Tribos de Israel – A Posse da Herança Prometida
Texto-base: Js.13 a 24

Versículo para decorar: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade “ (2Tm.2:15).

Objetivos

Demonstrar a fidelidade de Deus para com o seu povo através do cumprimento de sua promessa dando a possessão de Canaã à descendência de Abraão; Compreender que não se pode servir a dois senhores, Deus quer exclusividade em nossas vidas; Perceber a importância de conhecer e observar a Lei do Senhor, colocando em prática todos os seus mandamentos.

Introdução

Conforme a aliança de Deus com Abraão, a terra de Canaã foi entregue a seus descendentes (Js.13:7). A divisão da terra em doze tribos se deu porque além dos filhos de Jacó, entrou na partilha os dois filhos de José, Efraim e Manassés, que foram abençoados por Jacó (Gn. 48:11-20) e receberam a herança no lugar de seu pai (Js.14:3). A tribo de Levi não recebeu, uma terra específica, sendo pois, distribuídos em várias localidades no exercício do sacerdócio, sendo esta, considerada a melhor parte da herança (Js.13:33; 21). A divisão das terras foi feita inicialmente por Moisés e foi concluída com Josué (Js,13:15-33).

Procedimentos

Apresentar o organograma da descendência de Jacó, inicialmente, narrando a história, a partir do esboço, complementando com mapas o vídeo do Pr. Antônio Fonseca do Instituto Cristão de Pesquisa (ICT), aula virtual nº 25 -  www.youtube.com/watch?v=GSwJeVR83B8.

Contação da História

Os Filhos de Jacó

Jacó teve duas esposas, Lia e Raquel.  Ambas tinham escravas, Zilpa e Bila, com as quais Jacó  mantinha relacionamento. Além dos filhos com as duas esposas legítimas, Jacó teve filhos também com as duas concumbinas.  Eram os filhos de Jacó com Lia, Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zebulom e Diná. Com Zilpa, teve Gade e Aser. Com Raquel, teve José e Benjamim. Com Bila, teve Dã e Naftali (Js.15 - 21).

1)    Tribo de Levi (Js. 13:33): A esses não coube uma área específica, sua grande herança era  o  cuidar do Tabernáculo como sacerdotes. Eram responsáveis pelo zelo e cumprimento dos mandamentos da Lei de Deus. Foram distribuídos em vários lugares estratégicos entre as tribos.

2)    As tribos de Ruben e Gade,  incluindo a metade da tribo de Manassés, já haviam recebido de Moisés seu território ao oriente do rio  Jordão (Nm.32).   

3)    As tribos de Judá, Efraim e a outra metade da tribo de Manassés, receberam a  parte que lhes havia sido  dada por herança por Jacó, 450 anos antes (Gn.48:22; Js.15 a 17).

4)    As demais tribos receberam sua herança por meio de sorteio conforme consta no Capítulo 18.

Calebe, fiel escudeiro que sempre esteve ao lado de Josué, pela sua lealdade e perseverança em seguir a Deus (Js.14:14), recebeu  conforme sua solicitação o Monte Hebron, terra dos gigantes enaquins.   

Mensagem Final de Josué ao Povo

Já finda a sua missão, Josué reúne-se com o seu povo e os exorta a observação à Lei (Js.23:2-3). Relembra os feitos de Deus para que chegassem a possessão de sua herança e os  conclama a manter firme a aliança com o Senhor para que os povos inimigos não viessem a prevalecer sobre eles. Lembrou-lhes que deveriam reafirmar o compromisso de fidelidade (Js.24:14-15) para com Deus, assim como o fizera os seus antepassados, alertando-os das consequências que poderiam advir da desobediência (Js. 24:20).

Não se Pode Servir a Dois Senhores

Moisés conhecia bem as condições espirituais daquele povo e, temendo que se desviassem dos propósitos de Deus, foi enfático em seu discurso tratando de esclarecer que com Deus não se brinca. Lembrou-lhes de tudo quanto Deus havia feito por eles (Js.23:9), ressaltando todos os milagres e os livramento diante dos adversários por causa de seu grandioso amor e zelo para com o seu povo (Js. 24:1-13). Fez um forte apelo para que houvesse uma decisão firme, no sentido de suas escolhas. Alertando-os de que não poderiam jamais servir a dois senhores (23:15-16), portando, teriam que tomar naquele momento uma decisão e fazer um novo concerto com Deus, abandonando toda e qualquer idolatria, inclinando-se somente diante do Senhor Deus de Israel  (Js.24:23).

Um Duplo Compromisso

Josué finaliza o seu discurso fazendo um apelo para que houvesse um novo concerto de fidelidade entre o povo de Israel para com Deus (Js. 24:25). Essa aliança implicava, logicamente, no temor a Deus, fé e obediência, lealdade, renúncia ao pecado e à idolatria. Assim procedendo, Deus estaria sempre com eles, como o fora com Moisés e ele próprio, cujo testemunho ainda era muito forte porque eles assim o presenciaram.
   
Conclusão

Josué, escolhido do Senhor para liderar o povo de Israel após a morte de Moisés, concluiu com êxito sua missão porque sempre esteve atento a voz de Deus que o conduziu passo à passo. Lutou e venceu todas as batalhas porque Deus era com ele e finalizou sua missão entregando a possessão daquelas terras às doze tribos de Israel conforme era determinação do Senhor. Ao findar seus dias, conclamou o povo a fazer um novo concerto com o Senhor, reafirmando o compromisso de fidelidade e obediência, renunciando a toda idolatria que estava sendo disseminada entre eles pelas nações inimigas, fazendo-os submeter-se unicamente ao Deus de Israel. Assim procedendo, Deus continuaria fiel, permanecendo  junto deles.


Veja aqui alguns dos Estudos disponíveis no Arquivo do blog:
  1. Samuel - Resposta ao chamado de Deus
  2. Juizes - Período Teocrático 
  3. Sansão - Exemplo de Imaturidade 
  4. Gideão - Um Homem Revestido de Poder 
  5. Abimeleque - Ambição Sem Limites 
  6. José do Egito 
  7. Josué e Calebe - Enfrentando o Gigante do Medo 
  8. Josué - A Derrota de Ai 
  9. Palavra de Deus - Uma Mensagem Transformadora 
  10. Evangelizar é Preciso! 
  11. A Vontade Soberana de Deus 
  12. O Espírito Santo a Terceira Pessoa da Trindade 
  13. Páscoa Cristã 
  14. Dons Espirituais 
  15. Missões com Excelência - A boa semente

Nenhum comentário:

Postar um comentário